Conheça 8 pragas digitais que entraram para a história

Todos os dias milhares de computadores são infectados por malwares, no entanto, algumas pragas digitais se destacam, devido a grande complexidade ou destruição que causam, confira no texto alguns vírus que fizeram história.

1 – The Creeper

O “The Creeper” não chegou a causar estragos, mas fez história por ser o primeiro vírus de computador, criado em 1971. Quando infectava uma máquina, ele apresentava a mensagem: “I’m the creeper, catch me if you can!” (Eu sou o creeper, pegue-me se for capaz!) e depois passava para outro sistema.

2 – Stoned

Criado em 1987, atacava disquetes MS-DOS. Ele não chegava a danificar dados, mas deu origem a outras pragas, como o Michelangelo de 1991, que apagava os primeiros setores do disco e impossibilitava o seu uso.

3 – Morris

Criado em 1988, esse vírus foi o primeiro a se espalhar automaticamente na internet e seu autor, Robert Tappan Morris, foi a primeira pessoa a ser condenada por um crime cibernético. A praga consumia recursos excessivos do computador e da internet.

4 – Melissa

Foi criado em 1999, atingiu o sistema de comunicação de grandes empresas, como Intel e a Microsoft. Ele se espalhava através de e-mails, com anexos que uma vez abertos, faziam cópias de si e redirecionavam-se para os 50 primeiros contados do usuário infectado.

5 – Bugbear

Conhecido também como Tanatos, esse vírus utilizou e-mails para se espalhar, em 2002. A praga enviava o código do programa para as impressoras conectadas ao computador, que por sua vez imprimiam símbolos e caracteres sem significado aparentemente. Além disso, causou lentidão na entrega de e-mails.

6 – The Blaster Worm

Em 2003, esse vírus transformou computadores em zumbis, para organizar um ataque de negação de serviço ao site de atualização do Windows. Além dos estragos causados aos computadores domésticos, esse vírus atingiu o sistema ferroviário e a marinha estadunidense.

7 – MyDoom

Em 1° de fevereiro de 2004 o MyDoom se espalhou através de e-mails e redes P2P (peer-to-peer ou ponto a ponto). O script utilizou os computadores infectados para criar um ataque DDOS contra a companhia norte-americana SCO Group. Os ataque se prolongaram até 12 de fevereiro, mas as brechas abertas por ele foram por outros malwares durante um longo período.

8 – Stuxnet

As ações do Stuxnet foram divulgadas em 2010. Esse vírus infiltrou-se em usinas nucleares do Irã, causando danos em centrífugas ao alterar o funcionamento delas. Para dissimular os engenheiros, o vírus ainda falsificava as informações dos terminais de monitoramento.

Alguns vírus não chegam a ter a notoriedade dos mencionados acima, mas isso não quer dizer que eles sejam inofensivos, pelo contrário, malwares corriqueiros podem roubar ou comprometer seus dados, por isso invista em um programa de proteção como um bom antivírus, que oferece controle ativo de ameaças, cuidados contra ransomware, antispam, segurança para transações online e muito mais, sem prejudicar o desempenho do computador e assim você pode navegar tranquilo.

Imagem em destaque: Fox Business

Post feito em parceria com o BitDefender