Android

O dia que a Asus mostrou não estar para brincadeira

O Z3NVOLUTION foi o cartão de visitas da Asus para suas concorrentes no mercado e serviu para mostrar que ela veio querendo fazer briga de cachorro grande

Inegavelmente, a Asus conseguiu cativar seus fãs e usuários em uma campanha acertada, que instigou na medida certa. No entanto, nem sempre as marcas acertam a mão entre a hype pré-evento e o que entregam na “hora do vamos ver”.

Esse foi o meu maior medo ao acompanhar o evento fazendo a cobertura ao vivo junto com meus colegas do Descomplicando Bruno Lima, Bernardo Silva, Artur Rodrigues e o convidado Phill Cassiano (JusTechBR, AndroidPlace Blog, ArthurTech e Geek Generation, respectivamente).

Nosso foco ficou todo na nova geração do Zenfone e esquecemos que a Asus prometia muito mais que isso durante as duas semanas que anteciparam o evento, via teasers que iam de gifs à videos elaborados, instigantes e criativos.

Ledo engano. Vimos a Asus apresentar uma linha completa, que ia de smartphone à phablet, passando por tablets, notebooks de excelente desempenho e qualidade, chegando a um robô.

Ok, vamos por partes!

Zenbook

O evento começou com a apresentação da nova geração de ultrabooks da marca: os Zenbooks.

Bonitos, finos, leves, elegantes… MONSTRUOSOS! Nitidamente, a Asus fez uma linda mescla de desempenho e design e mirou a cabeça de um concorrente direto para o seu headshot: A Apple.

Seus aparelhos são mais leves, mais finos e, ao menos, segundo a marca, com mais desempenho. Não surpreenderá se realmente forem. O hardware é avançado e querendo ou não, trás um dos melhores Windows até hoje no quesito desempenho, sendo reconhecido como tal: O Windows 10.

Além da leveza (910g) e espessura minima (apenas 11,9mm), o aparelho trás corpo em material que tem resistência 50% superior ao que é visto em outros dispositivos hoje no mercado. Ponto pra quem carrega pra cima e pra baixo e morre de medo de danificar.

O hardware é de fazer muito computador de mesa chorar: O mais robusto trás o conjunto matador Intel® Core i7 + 16GB de 2133MHz RAM + 1TB PCIe® Gen 3 x4 SSD. Obviamente, o preço não vai ser aquela pintura de barato mas inegavelmente, o conjunto da obra é de chorar.

Por sinal, outro fato curioso foi a tela e o sistema de som. A Asus apostou em colocar no gadget a proteção do Gorilla Glass 4 e embarcar no dispositivo o alto-falante quádruplos da Harman Kardon.

O touchpad trás em seu canto superior direito um leitor biométrico, devidamente chancelado pelo Microsoft Hello, ou seja, pode esquecer a senha de acesso e só colocar o dedinho lá. Seja feliz!

Obviamente, não poderia faltar também a tendencia atual no mercado: O USB Type-C. Nesse momento, você se pergunta: Tá, e a conectividade com os outros gadgets que possuo? Ele tem HDMI? Pra isso, um mini adaptador que proporciona um conjunto completo de conectividade (HDMI, USB, Cabo de rede…).

A essa hora, já estava calculando quantos segundos duraria uma bateria nesse monstro em corpo de Cinderela: 9 horas.

Esfreguei meus olhos. Não podia ter lido certo. Tinha! 9 horas de uso me fizeram sentir jogar meu Toshiba pela janela (até lembrar do limitado orçamento de um blogueiro). Ah! Só pra constar, o bichinho carrega 60% em apenas 49 minutos. Tá bom, né?

Transformer

Quem é mais rodado experiente deve se lembrar de um dos tablets mais icônicos do mundo Android: O Asus Transformer. À sua época, o conceito era inovador e impactante: um tablet que se conectava a um dock (teclado) e se transformava em “netbook”.

O tempo passou e o conceito de aparelho dois em um vingou e obviamente, a Asus não poderia dar as costas para esse segmento. Nesse sentido, a marca apresentou, numa pedrada só, três dispositivos diferentes: O Transformer Pro (da foto acima), Transformer 3 e Transformer Mini.

Entre eles, muita coisa muda. Como o próprio nome diz e é tendencia no mercado, o primeiro, batizado de Transformer Pro é o mais robusto dentre os três. Além do acabamento premium que vem de encontro ao requinte já visto no Zenbook, ele enche os olhos e seu hardware é composto por um processador Intel Core i5 ou i7, 16GB de memória RAM e armazenamento SSD com opções que vão de 128GB à 1TB, o aparelho é um brinde à ostentação e à festa que ainda nem chegara à metade.

O meio do caminho ficou com o Transformer 3, que apesar de mais “simples”, também dá um banho. São 4GB de memória RAM (que podem chegar à 8GB), armazenamentos de 256GB ou 512GB e uma stylus que pode ser utilizada para operar o aparelho, seguindo a tendência criada pela Samsung, na linha Note e acompanhada da Apple em sua linha Pro. Curiosamente, este é o único dentre os três que conta com leitor biométrico integrado.

Não menos importante, temos o irmão menor e mais leve da família: O Transformer mini. Embalado por um processador Quad-core Intel Atom X5, também trás o Windows como sistema operacional e a possibilidade de personalização por meio da substituição de teclado que pode ser encontrado em variadas cores (aparentemente, seu target é o público jovem que curte algo mais fashion).

Zen3

A essa altura do evento, eu não sabia mais o que pensar ou o que esperar. Foi tanto tech-porn que eu perdi a noção de tempo e espaço. O que reservaria a Asus na área de smartphones?

Como esperado, a Asus apresentou o Zenfone 3, em 3 variantes (haja numero três ein?!?!?): Zenfone 3 Deluxe, Zenfone 3 e Zenfone 3 Ultra.

Ao contrário do que possa parecer, a Asus resolveu ajustar as nomenclaturas da linha de smartphone. Se antes parecia confuso imaginar que o Zenfone 2 e o Zenfone 2 Deluxe eram praticamente o mesmo aparelho, com pouquíssimas diferenças, agora temos efetivamente uma variação que justifique o nome diferente.

O Asus Zenfone 3 Deluxe é o pai de todos, o cara da linha. Embalado por um processador Qualcomm Snapdragon 820 Series (Isso me cheira a treta! Explico mais na frente), 6 fuckin’ “Gibas de Rambo”GB de RAM, USB TypeC com QuickCharger 3.0 e biometria na parte traseira. O corpo é uma peça unibody em metal sem antenas aparentes, como visto nos outros aparelhos de mercado (inclusive o irmão Zenfone Zoom). Essa foi parar em toda a sua parte traseira (agora quero ver ficar sem sinal!). O seu display FullHD de 5.7″ Super AMOLED (AMEM!).

Agora, uma pequena pausa para explicar o que achamos que é treta nesse aparelho: O processador. Curiosamente, a Asus não colocou qual modelo de processador seria embarcado no Zenfone 3 Deluxe. Não, dizer que é a série Snapdragon 820 não é uma informação precisa, tendo em vista que existem gerações dele e com isso, o modelo seria uma informação a se ter. Nosso chute é que a Asus se antecipou à Qualcomm e já anunciou um aparelho com a nova geração do processador porém, tem que manter o sigilo com relação às specs e versão, segurando até o lançamento oficial da fabricante de processadores. Nisso, existem duas possíveis numerações rondando a internet: 821 e 823. De qualquer forma, só o tempo e a Qualcomm poderá terminar com esse segredo e revelar a nova versão para ai sim, sabermos se realmente é esse o segredinho por trás do Zenfone 3 Deluxe. Chute dado, seguimos falando sobre ele…

Não bastasse tudo isso, o conjunto de câmeras vem chutando o pau da barraca: 23MP com o sensor de imagem Sony IMX318, abertura da lente f/2.0 e 4 eixos de estabilização óptica de imagem para fotos perfeitas, sem tremidos e baixo ruído de imagem em praticamente qualquer condição de iluminação, 3 eixos de estabilização eletrônica de imagem para vídeos 4K UHD e sistema de foco automático ASUS TriTech, que seleciona automaticamente o laser de 2ª geração, detecção de fase, ou o foco automático contínuo para fornecer informações precisas e quase instantâneas de 0,03 de segundos, que inclusive acompanha ativamente o objeto a ser fotografado. Além disso, a nova PixelMaster (agora na versão 3.0) promete melhores capturas.

Já o Zenfone 3 é uma versão simplificada. Seu processador é o Octa-core Qualcomm Snapdragon 625, primeiro da marca a vir com tecnologia de processo de fabricação de 14nm FinFET na linha Snapdragon 600, um modem X9 LTE integrado e conectividade 802.11ac MU-MIMO Wi-Fi – gráficos com qualidade de PC e até 4GB de RAMdisplay. A tela é uma Super IPS+ FullHD de 5,5 polegadas.

Sua biometria é, também na parte traseira e sua câmera é Sony uma IMX298 de 16MP com tecnologia ASUS TriTech autofocus, que seleciona automaticamente entre o laser de segunda geração, detecção de fase e foco automático contínuo para conseguir um foco preciso em apenas 0,03 segundos, resultando em imagens nítidas em qualquer condição (ou seja, levemente mais simples que o Deluxe). Ele também trás a USB Type-C (porém 2.0).

Um Asus Zenfone 2 que o trator passou por cima. Essa foi a melhor definição que consegui achar para o Zenfone 3 Ultra. Ele trás alguns conceitos antigos e novos na Asus para a luz do povo comum como eu e você. Além da exagerada tela  IPD LCD FullHD de 6.8″, ele conta com um processador octa-core Qualcomm Snapdragon 652, GPU Adreno 510 e até 4 GB de RAM, o que se destaca é o inédito (para aparelhos Asus) botão frontal com biometria. A câmera traseira é a mesma do Zenfone 3 Deluxe, QuickCharge 3.0 e uma bateria de humildes 4.600 mAh (agora quero ver você reclamar da bateria!). Interessante também observar que ele pode ser utilizado como PowerBank, com uma saída de 1.5A.

Inegavelmente, o Asus Zenfone 3 Ultra foi pensado para consumo de mídia. Além da generosa tela, é o primeiro smartphone do mundo a ter a exclusiva tecnologia de vídeo ASUS Tru2Life+, que utiliza um processador de imagem de TVs 4K topo de linha para otimizar cada pixel de cada quadro antes de ser exibido, resultando em contraste e nitidez superiores. O Zenfone 3 Ultra também se destaca em áudio com seus novos e poderosos alto-falantes estéreo de cinco ímãs e seu amplificador inteligente NXP, que proporciona um som claro e definido, que também protege os alto-falantes de danos.  Ao ouvir através de fones certificados, os usuários podem desfrutar do impressionante Hi-Res Audio (HRA), som de alta definição que fornece até quatro vezes melhor qualidade sonora do que os CDs. Ele também é o primeiro smartphone do mundo com som surround de 7.1 canais virtual com tecnologia DTS Headphone:X.

Todos são semelhantes por serem dual-SIM com porta hibrida (ou seja, ou você usa dois chips de telefonia, ou usa um chip e um MicroSD). Caso opte por usar dois chips, o primeiro se vale de conexão 4G e o segundo, de 3G. Outra semelhança fica por conta da câmera frontal. Ambos trazem 8MP com lente grande angular de 85º.

Zenbo

Ok! Já acabou Jéssica Asus?!? Já deu por hoje né?
Não???? O que diabos é isso? Um robô!

Sim, por mais absurdo e incrível que possa parecer, a Asus resolveu ir além e lançar o Zenbo, seu primeiro robô assistente pessoal multitasking. Ele pode ser babá eletrônica, monitorar idosos, tocar musicas, auxiliar na cozinha falando receitas… Pombas, é coisa pra cac***!

Trocando em miúdos, o fim está próximo e devemos nos preparar para a revolta das máquinas. Brincadeiras à parte, o Zenbo é um belo avanço em direção à robótica em nível popular, permitindo que se tenham robôs em casa para suporte e dinamização da vida.

A Asus também anunciou o Zenbo Developer Program, dando acesso ao SDK do pequeno robô, aumentando assim as possibilidades daqui a algum tempo.

Definitivamente, o Z3NVOLUTION serviu de cartão de visita para as outras marcas, mostrando que a Asus não está pra brincadeira no mercado e que visa tomar a dianteira, trazendo inovação e qualidade aos seus usuários.

E você? Animou para colocar a mão em algum desses lançamentos? Conta pra gente nos comentários!

Comentários

Criado por loucos viciados em cafeina, jogos e na vida de nerd para compartilhar os pontos de vista de forma isenta e com muito bom humor!

Esperamos que goste! =]

EpicGeek © 2015 Todos os direitos reservados.

To Top